Raros Fazedores de Chocolate

 

Quando estava pesquisando sobre os expositores do Mercado Manual que aconteceu nos dias 29 e 30 de abril no Museu da Casa Brasileira, me deparei com o nome “Raros Fazedores de Chocolate”. Claro que fiquei super curiosa e minha vontade de conhecer a feira só cresceu. Mas, acabei chegando tarde e eles tinham ido embora 😦 o chocolate todo foi vendido! Ou seja, só fiquei mais curiosa e com mais água na boca ainda.

Os Raros Fazedores de Chocolate são, na verdade, dois agronômos (um casal <3) que resolveram fazer chocolate da forma mais pura possível. E conseguiram! A maioria das barras que produzem têm só dois ingredientes: cacau e açúcar. Como não amar?

Depois de alguns dias, descobri que os chocolates começaram a ser vendidos na loja A Queijaria, na Vila Madalena (perto do trabalho do marido! yay!) e então, pude experimentar um chocolate 100% puro e 100% brasileiro. Logo na primeira mordida, estranhei. Definitivamente o gosto não é de chocolate, ou pelo menos do gosto de chocolate que estamos acostumados a comer. É ácido e amargo, mas é bom. É de verdade! É esse o gosto do cacau. Forte.

Experimentamos o 66% feito com cacau de Linhares no Espírito Santo. Esse da foto é o 60% cacau e 20% castanha do Brasil, mais macio e um pouquinho mais suave. Porém a acidez ainda está lá.

O que eu mais gostei foi o conceito: fazer um produto artesanal, brasileiro, do jeito que se fazia há muito tempo atrás e que prioriza bons produtores de cacau. Esse jeito de fazer chocolate tem nome: bean-to-bar. Isso significa que o mesmo produtor seleciona as amêndoas de cacau, faz o processo da torra (a fermentação e a secagem é feita anteriormente, na fazenda), e a moagem, onde a gordura do cacau se liquefaz e se transforma no líquido dos deuses e está pronto para se misturar ao açúcar. Ahhhh, chocolate é uma coisa mágica mesmo. Não é a toa que os Astecas acreditavam que o cacau era um presente do deus Quetzalcoatl, deus da sabedoria.

Tudo isso pra dizer que: você precisa provar chocolate de verdade! É diferente de tudo que já experimentou antes. Talvez você nem goste, mas vale a pena sentir o gosto do cacau uma vez na vida, já que a maioria dos chocolates por aí tem tão pouquinho dessa fruta dos deuses.

Para saber mais:

Raros Fazedores de Chocolate
http://www.rarosfazedoresdechocolate.com.br

A Queijaria
http://www.aqueijaria.com.br/

 

Creme de banana e frutas vermelhas

IMG_1998

Esse creminho é super versátil, pode ser um nutritivo café da manhã, lanche da tarde e até sobremesa! No verão eu uso todas as frutas congeladas, mas agora que tá mais friozinho, só as frutas vermelhas vão pro mixer geladinhas e aí vira um creminho. Se você usar a banana congelada também, aí a sobremesa tá garantida! Um sorbet maravilhoso vai se formar. E pode ser criativo! Use a fruta que quiser, mas indico a banana ou manga que dão muita cremosidade. Outra boa mistura é manga + maracujá + framboesa ou manga + maracujá + hortelã. É um ótima receita pra fazer com as crianças e observar a mistura de cores lindas das frutas. Vocês podem até bater cada fruta separada e brincar de “tinta”, cada um fazendo uma mistura de cores na sua tigela e na barriga 🙂

As opções são infinitas! Divirta-se!

Creme de banana e frutas vermelhas

  • 2 bananas maduras
  • amora e mirtilo congeladas a gosto
  • 1 colher de sopa de mel (opcional)
  • 1 colher de sopa de chia (opcional)
  • granola (opcional)

Bater tudo no mixer/liquidificador/processador.

Sopa de abóbora com gengibre

IMG_1991

Abóbora cabotiá, coentro, cebolinha, gengibre, cúrcuma (achei a cúrcuma na Feira Orgânica do Ibirapuera, em São Paulo), cebola e alho.

Corte a cebola em cubos e ligue o fogo. Quando a panela esquentar, jogue azeite (o suficiente para cobrir o fundo da panela com uma fina camada) e refogue a cebola. Se começar a fritar muito rápido, abaixe o fogo e adicione uma pitada de sal. Isso vai fazer a cebola soltar água e não queimá-la. Eu gosto de colocar o alho só depois da cebola estar bem douradinha (já queimei muitos pedacinhos de alho antes…) mas isso vai do gosto de cada um.

Coloque a abóbora cortada em cubos grandes. Se for orgânica, pode colocar a casca junto! Se não vai dar um pouco de trabalho tirá-la, mas não deixe de fazer você mesmo. Quando fui comprar essa abóbora da foto, passei pela prateleira dos “já-embalados-descascados-e-cortados” pra descobrir que o preço da cabotiá fica R$85 o quilo!!!! Além de produzir mais lixo (bandeijinha de isopor) e te poupar de tocar no alimento para prepará-lo (é só jogar direito na panela), ainda sai bem mais caro pro seu bolso.

Continuando… Misture bem com uma colher e adicione os talos do gengibre e a cebolinha picados. Você pode usar uma tesoura e ir cortando direto na panela (Santa Nigella!!). Depois, coloque a cúrcuma e o gengibre em rodelas pra dourar também. Sal e pimenta a gosto e cubra com água. Tampe e espere até tudo ficar macio.

Depois é só bater tudo no liquidificador ou usar um mixer de mão (muuuuito prático!) e servir com uma fio de azeite, páprica, cebolinha e coentro frescos e um bom pão. hummmmmmmmm

IMG_1995

gente, eu não ia colocar a receita certinha, pois não é assim que eu faço. mas, vou tentar organizar aqui pra vocês:

Sopa de abóbora com gengibre

  • meia abóbora cabotiá cortada em cubos (300g a 500g)
  • um pedaço de gengibre de 3 cm em fatias
  • um pedaço de cúrcuma de 3 cm em fatias (ou 1 colher de de chá cheia de cúrcuma em pó)
  • 1 cebola cortada em cubinhos
  • 2 dentes de alho (ou mais… eu coloco bastante :D)
  • 1 maço de coentro
  • 2 talos de cebolinha
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • sal e pimenta a gosto
  • 1 litro de água

Refogar tudo em uma panela com azeite e cobrir com a água. Espere que tudo fique macio e bater no mixer.