Abóbora assada com mel e balsâmico

Semana passada comprei meia abóbora cabotiá pra fazer a receita de curry vegetariano da Rita Lobo, que faz parte de uma série pro Youtube do canal Panelinha, o Em Uma Panela Só. Já pensando no jantar do resto da semana, reservei metade da abóbora na geladeira. Daí foi só descongelar o feijão vermelho orgânico já cozido, temperar com cebola bem fritinha, fazer uma farofinha com tomates em cubos e colocar a abóbora no forno. Pronto, almoço do sábado garantido e bem rápido!

A receita também é do site Panelinha e ficou deliciosa. Não achava que só um pouquinho de mel e balsâmico iam dar tanto sabor à abóbora, mas ficou ácido e doce na medida certa. A textura fica bem macia e ao mesmo firme, condensando todo o sabor da cabotiá. Para decorar, espalhei salsinha picada e sementes de girassol.

  • 1/4 de abóbora cabotiá
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 2 colheres de sopa de vinagre balsâmico
  • sal e pimenta do reino a gosto

pré aqueça o forno a 200C. Corte a abóbora em fatias de mais ou menos 2 cm. Misture o azeite, mel e balsâmico em uma tigela grande e coloque a abóbora, mexendo com as mãos para que pegue bem o molho. Coloque as fatias enfileiradas em uma forma e tempere com o azeite e sal. Leve ao forno e asse até que fiquem macias. (no meu forno demorou 45 minutos)

Outras combinações interessantes:

shoyu + azeite + gengibre picado + alho + gergelim

azeite + sal + tomilho

azeite + sal + páprica defumada

 

Anúncios

Massa de torta com fermento natural: três possibilidades

Este post está super especial, pois além de ter três receitas, todas foram feitas utilizando fermento natural. Sim, sim. Você pode usar o fermento natural que vai no pão para fazer outras receitas. Andei testando algumas já… e essa de massa de torta rendeu um montão de ideias.

Geralmente, quando cultivamos uma cultura de bactérias para fazer pão (aka fermento natural, levain, massa madre), acabamos nos deparando com mais quantidade do que necessário e não tem muito jeito… acaba indo pro lixo. Uma pena, mas isso agora não é mais um problema! Dá pra usar em outras receitas durante a semana.

O The Perfect Loaf, blog de fermentação super bonito e bem feito, postou uma receita com essa massa de torta (e uma galette de frutas) e decidi me arriscar. Eu fiz massa pouquíssimas vezes e não sabia se ia dar certo… mas deu tão certo que arrisquei mais duas ideias: uma quiche salgada e uma torta de banana com doce de leite, mais conhecida como Banoffee Pie. E ficou tudo uma delícia! E tudo isso com apenas uma receita de massa, que você confere abaixo.

Massa de torta com fermento natural

img_2788

Fiz algumas alterações na receita original e deu tudo certo. O seu fermento deve estar alimentado com 100% de hidratação, ou seja, a mesma quantidade de farinha e água. Você pode usar o fermento alimentado ou não, a escolha é sua. O meu foi alimentado antes, pois aproveitei pra fazer pão depois. A massa da torta não irá fermentar como a do pão, por isso os benefícios da fermentação natural não são utilizados aqui, pois não há pré-digestão da farinha, eu imagino. Porém, o sabor fica mais intenso e gostoso.

  • 2 1/2 (295g) xícaras de farinha de trigo
  • 200g de manteiga sem sal
  • 1 colher de sopa de açúcar (opcional)
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 xícara de fermento natural
  • um pouco de água para dar o ponto

Misture a farinha, açúcar e sal com as mãos em uma tigela. Corte a manteiga em cubinhos e com a ajuda de uma espátula misture a manteiga na farinha. Depois, comece a “quebrá-los” com a ponta da espátula ou com um garfo. A intenção é fazer uma “farofa”, mas não incorporar a manteiga totalmente na farinha. Deixe a manteiga em tamanhos desiguais, com o tamanho máximo de uma moeda de 10 centavos e outras menores que isso. Adicione o fermento e misture com mãos até conseguir formar uma bola. Se necessário utilize água (bem pouquinho de cada vez). A massa não vai desgrudar das mãos e não trabalhe demais a massa. Os pedacinhos de manteiga vão garantir a crocância 😉 Forme uma bola, embale em papel filme e deixe na geladeira de 2 a 24 horas antes de usar. (não precisa fermentar, é só deixar a massa BEM gelada antes de usar).

Galette de frutas

Escolha frutas maduras de sua preferência para essa receita!

img_2806

  • 1 caixinha de morangos frescos
  • 2 pêssegos
  • metade da receita de massa de torta

Corte os morangos em quatro partes e os pêssegos em fatias. Se você gostar de muito de doces, pode adicionar um pouco de açúcar às frutas, mas eu resolvi deixar sem. Misture numa tigela e reserve. Abra a massa em um disco, sem deixar muito fina. Coloque as frutas no meio e vá dobrando as sobras da massa por cima das frutas. Para deixar a massa mais bonita, pincele um ovo batido por cima da massa (como eu não tinha ovos, a minha ficou um pouco pálida). Asse em forno pré-aquecido a 200C por 50 minutos. Sirva ainda quente com chantilly ou sorvete. NHAM!

img_2808img_2807

Banoffee pie ou torta de banana com doce de leite

Como sobrou metade da massa da galette, resolvi testar uma receita que queria fazer há muito tempo! A Banoffee Pie nada mais é do que puro doce de leite, mas achei que ficaria muito enjoativo. Fui atrás de outra receita e achei essa da Danielle Noce (que sou super fã!) com um creme de confeiteiro de doce de leite… e ficou doce na medida certa e super cremoso! Ai, só de lembrar quero mais!

  • massa de torta (usei forminhas de 13 cm)
  • 1 banana fatiada
  • 100 ml de creme de leite fresco (para o chantilly)
  • 225 g de doce de leite
  • 250 ml de leite
  • 3 gemas
  • 20 g de amido de milho

Abra a massa com um rolo um pouco maior do que o diâmetro da forma. Prefira mais fina do que a galette, assim ficará mais crocante e bonita. Faça furinhos com um garfo e coloque grãos por cima da massa para que ela não deforme no forno. Pode usar feijão ou grão de bico. Asse em forno pré-aquecido a 200C até que fique bem douradinha (ou 30 minutos). Na metade do tempo, retire os grãos e guarde em um pote para usar da próxima vez (para retirá-los mais facilmente, coloque papel manteiga untado entre a massa e os grãos)

Em uma panela, aqueça o leite e o doce de leite. Quando ferver, adicione as gemas batidas com o amido de milho e mexa até engrossar. Retire do fogo e reserve na geladeira com um filme plástico em contato com o creme para não criar película. Se estiver com pressa, coloque em um assadeira grande.

Recheie as tortinha com o creme, enfeite com as rodelas de banana e coloque um pouco de chantilly no topo. NHAM! Rende três tortinhas de 13 cm de diâmetro.

Quiche de queijo e cebolas

Com a mesma receita, a massa ainda rendeu uma quiche! Eu nunca tinha feito quiche e ficou tão maravilhoso ❤ Tô muito orgulhosa! Pode variar no recheio, mas esse de cebolas e queijo fica incrível!

img_2811

  • 2 ovos
  • 100 ml de creme de leite fresco
  • 3 cebolas pequenas em fatias
  • 200g de queijo parmesão ralado na hora

Siga os mesmos passos para assar a massa da torta de banana descritos acima, porém retire a massa do forno antes de dourar. Usei uma forma de 18 cm de diâmetro.

Refogue as cebolas em uma frigideira com um pouco de sal e azeite até ficarem bem douradas. Em uma tigela, quebre os ovos, adicione a cebola, o queijo e o creme de leite e misture bem.

Despeje a mistura na massa de torta pré-assada e asse em forno pré-aquecido a 200C por 25 minutos. Aproveite!

 

 

Mexidinho

Essa é uma ótima receita pro dia-a-dia, pois é prática, tudo numa panela só e cheia de cores diferentes. Uma ótima opção para variar o feijão carioca, já que está super caro. Usei o fradinho que está um pouco mais barato, mas dá pra usar o preto também. Ah, a escolha do arroz aqui é importante. Usei o o cateto integral orgânico que é infinitamente mais saboroso que o arroz integral comum. Se você não curte muito arroz integral, vale a pena experimentar o cateto: mais firme, cremoso e saboroso.

Mexidinho

  • 2 xícaras de arroz cateto integral
  • 2 xícaras de feijão fradinho
  • 4 talos de alho poró pequenos em rodelas
  • 3 dentes de alho picados
  • 2 cebolas médias em meia lua
  • 2 tomates sem sementes em cubos pequenos
  • 3 queijo coalho no palito (aqueles de churrasco mesmo)
  • salsinha e coentro a gosto

Deixe o feijão fradinho de molho por 12 horas e cozinhe em água. Escorra e reserve. Faça o mesmo com o arroz. Tire os queijinhos do palito e corte em cubos. Doure em uma frigideira bem quente. Reserve. Em uma panela grande, refogue o alho poró, alho e cebola por 7 minutos em fogo médio com um pouco de azeite. Quando o refogado estiver macio e um pouco dourado, acrescente o arroz e o feijão. Refogue e tempere com sal. Acrescente o tomate, salsinha e coentro e por último o queijo. Misture bem e bom apetite! Também fica ótimo servido com uma couve refogadinha. Hummmm!

 

 

 

Estrogonofe de palmito

IMG_2285

É, eu acabei de escrever no último post que não gosto de dar o mesmo nome pra pratos versão natureba, mas devo dizer que esse estrogonofe tem gostinho do que eu comia na infância, então, por isso, me reservo o direito de chamar essa receita de estrogonofe! 😀

Desde que parei de comer carne, sempre senti falta do molhinho rosinha do estrogonofe, mas mesmo com vontade de comer, não consigo engolir a carne. Quando encontrei essa receita foi pura felicidade! Já variei bastante os ingredientes: ao invés do palmito, usei abobrinha, abóbora menina, cogumelos… geralmente algum legume mais durinho.

Na semana passada achei o palmito pupunha fresco no mercado (e num preço bom) e testei pela primeira vez sem o palmito em conserva e ficou muuuito melhor. Para acompanhar sempre faço umas batatas no forno com alecrim, sal e azeite. Pode ser batata doce ou asterix e de vez em quando também gosto da palha 😀

Ah, também dá pra tirar o creme de leite e colocar leite de coco ou algum leite vegetal.

Então vamos para a receita!

  • 400g (ou 1 vidro de palmito, 1 abobrinha e 1 bandeijinha de cogumelo paris fresco)
  • 1 cebola e 2 dentes de alho picados
  • 2 col. de sopa de extrato de tomate
  • 1 tomate maduro picado (opciona)
  • sal e pimenta a gosto
  • 1 caixinha de creme de leite
  • 1 xícara de água

Refogar a cebola e o alho com um pouquinho de azeite. Acrescentar o tomate e deixar cozinhar bem. Adicionar os legumes que você escolheu e refogar. Adicionar o extrato de tomate e água, temperar com sal e pimenta e deixar cozinhar com a tampa por 5 minutos. Desligar o fogo e acrescentar o creme de leite. Misturar e servir! Hummm