Sorvete de banana caramelada

17269550_1597269326969108_649092360_o

Quando eu vi essa receita de Sorvete de Banoffee Pie do Prato Fundo semana passada, sabia que eu tinha que fazer o mais rápido possível! Desde que postei a receita da Dani Noce com a massa de fermentação natural aqui no blog, o gostinho de quero mais ficou no ar, mas nunca me animo pra fazer tortas (preguicinha, é verdade). Porém, desde que resgatei minha sorveteira da cozinha dos meus pais, decidi testar novas receitas, e essa pareceu perfeita!

Vou começar já dizendo que eu não achei nada parecida com a torta de banoffee que já tinha provado. Na receita que fiz, o recheio é de creme de confeiteiro com doce de leite e fica super leve, suave e não muito doce. Já a receita do Prato Fundo foi baseada em uma outra do Jamie Oliver em que a base é feita de caramelo de banana. Achei a ideia genial, pois o gosto da banana ficar super acentuado e delicioso.

Fiquei encucada com a referência de banoffee pie ser diferente para uns e outros. Fui pesquisar e no Wikipedia diz que a receita original foi criada no restaurante The Hungry Monk, na Inglaterra. A parte do toffee vem do leite condensado cozido por horas (na minha terra isso chama doce de leite, hehe) e a banana vem só por cima para decorar. Ou seja, acredito que o Jamie quis levar a palavra toffee (que é manteiga e açúcar) ao pé da letra e não usar leite condensado, criando um caramelo de banana. Achei a ideia incrível, porém com sabor bem diferente da tradicional.

Por conta de tudo isso, o título da receita se chamará sorvete de banana caramelada, pois acredito que o gosto da banana e o caramelo falem mais alto. Gostei muito do resultado. Ficou super cremoso e com um sabor maravilhoso de banana. Um pouco doce pro meu paladar, da próxima vez diminuo o açúcar, mas mesmo assim vale a pena. Ah, também acabei fazendo sem a bolacha maizena 🙂

Ingredientes

  • 150g açúcar cristal
  • 250g bananas nanicas maduras (ou 2 bananas médias)
  • 100g leite integral
  • 1 colher de chá de essência da baunilha (ou extrato, ou a fava)
  • 300g creme de leite fresco gelado
  • 15g açúcar refinado

Em um mixer ou liquidificador coloque as bananas picadas, leite e a baunilha (se usar essência, deixe a baunilha para colocar no final do preparo do caramelo). Bata bem até obter uma mistura homogênea e reserve.

Em uma panela alta, coloque o açúcar para caramelizar em fogo médio e mexa de vez em quando até obter um caramelo cor âmbar. (Eu tenho traumas com caramelos e esse passou um pouco do tempo, ficou um pouquinho amargo, portanto, não deixe queimar demais. 6 minutos teriam sido suficientes.)

Adicione a mistura de bananas e cozinhe por mais 6 minutos, até que tudo se dissolva bem. Tome cuidado nessa hora, o caramelo pode espirrar!

Desligue o fogo e transfira o caramelo para uma tigela e deixe esfriar completamente.

Enquanto isso, bata o creme de leite e o restante do açúcar em ponto chantilly. Incorpore o creme no caramelo frio, devagar e com paciência. A mistura ficará bem areada e leve. Transfira para um pote e leve ao congelador por 6 horas. Prontinho, nem precisa de sorveteira 😉 Fica super cremoso! E caso queira usar uma,  é só seguir as instruções do fabricante.

 

Crème Brûlée

Não me lembro a primeira vez que comi crème brûlée, mas sei que foi amor na primeira colherada. O doce francês que, na tradução literal, nada mais é do que creme queimadinho é conhecido em todo o mundo. Além de ser um dos pequenos prazeres da personagem Amélie Poulain, penso que ele deve ser um sucesso tanto pelo sabor suave e textura aveludada, quanto pela facilidade e simplicidade da receita. São apenas 4 ingredientes: ovos, açúcar, creme de leite fresco e baunilha. Esse é o clássico, mas você pode inovar e trocar a baunilha por purê de framboesas, café, licor, raspas de laranja… Fica a seu critério.

O mais complicado mesmo fica na hora de fazer o queimadinho, geralmente feito com a ajuda de um maçarico. Mas vamos combinar que essa receita já existe muito antes do homem conseguir prender um gás inflamável dentro de um cilindro, né? Fora que não é só na França que o brulee faz sucesso. Os espanhóis e ingleses também já queimavam seus creminhos, seja crema catalana ou burnt cream. Portanto, se você não tem uma maçarico, pode usar o grill do forno ou até mesmo esquentando uma colher na chama do fogão. Se você ama crème brûlée vale a pena tentar!


Crème Brûlée

  • 500 ml de creme de leite fresco
  • 5 gemas
  • 5 colheres de sopa de açúcar
  • 1 fava de baunilha ou 1 colher de sopa de essência de baunilha

Aqueça o creme de leite fresco com as sementes da fava (se você usar a essência não precisa aquecer o creme). Não precisa ferver, quando aquecer desligue o fogo e tampe. Separe as gemas em uma tigela e adicione o açúcar. Bata até que o açúcar dissolva. Coloque uma concha do creme de leite na mistura de ovos e misture bem. Adicione todo o resto na panela e mexa. Disponha tigelinhas ou ramequins em uma forma retangular e com a ajuda de uma concha vá enchendo os recipientes. Coloque a forma em forno pré-aquecido a 160C (ou o mais baixo que puder no seu forno) e despeje água fervente na forma até atingir a metade dos ramequins. Deixe assando em banho maria por 1 hora. Transfira para a geladeira de 2 a 4 horas. Na hora de servir, espalhe uma fina camada de açúcar e queime com o maçarico ou uma colher bem quente.

 

img_2714

Cabô : (