Ratatouille

Adoro fazer receitas que usam sobras! Confesso que me sinto a própria Rita Lobo, a rainha da economia doméstica rs! No domingo passado, sobrou um pouquinho do molho de tomate que fizemos para o macarrão (se quiser uma receita maravilhosa de molho, clica aqui para ver a Paola ❤ ensinando) e na hora eu pensei em fazer uma ratatouille. Na verdade, essa receita não pede molho de tomate, mas eu achei que combinou e ficou muito gostoso! Além de ser uma ótima opção para a janta, é rápido de fazer e é comida de verdade ❤

Ingredientes

  • 2 tomates maduros
  • 1 abobrinha
  • 1 berinjela
  • 2 cebolas roxas
  • 1 xícara de molho de tomate caseiro
  • Sal e azeite a gosto
  • Alecrim, tomilho ou ervas que preferir

Corte os tomates, abobrinha, berinjela e cebolas em rodelas finas. Em um refratário intercale as rodelas e tempere com sal e azeite. Coloque o molho por cima e complemente com ervas secas a gosto (eu usei alecrim). Leve ao forno pré-aquecido a 180C por 30 minutos.

Optei servir com arroz cateto e negro e ficou uma delícia! Jantar super levinho e delícia!

Simpleza

Captura de Tela 2016-06-01 às 21.54.43

Desde o primeiro episódio de MasterChef Brasil eu me encantei pela Paola Carosella. O jeito como falava com os competidores e sobre os alimentos era muito especial, mas até então nunca nem tinha ouvido falar de Paola. Joguei no Google e apareceu uma reportagem dizendo que ela não tinha TV (já me apaixonei). Logo em seguida, o site de seu restaurante, Arturito. O layout, delicado e simples. A descrição do cardápio só confirmou que o seu trabalho era especial. Adorei ler: sorvete de baunilha artesanal, ovos de galinhas felizes, verduras orgânicas… ❤ Desde então, passei a acompanhar seu trabalho.

Eu e meu marido fomos ao seu restaurante comemorar o meu aniversário e foi um baita de um presente! Comida fresca, simples e orgânica definitivamente fazem a diferença. Provar o menu foi como receber um abraço. Saímos encantados com a comida. Depois, no Natal, levamos um presente para ela: o livro Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil, ideia do marido <3.

Não sabíamos se a Paola iria estar no restaurante naquele dia. Mas para nossa surpresa, ela apareceu na área de espera do bar, com um avental, lenço na cabeça e um pano nas mãos, limpando a mesinha de centro e nos cumprimentando com um sorriso e um olá. Ela recebeu o livro e ficou muito agradecida, disse que já tinha ganhado um, mas que ia deixar um em casa e outro no restaurante. Logo depois, recebeu uma menina de uns 10 anos que estava super emocionada, a abraçou e foi super atenciosa.

No começo de 2015 tive o privilégio de assistir sua primeira aula de empanadas na Livraria da Vila. Ali eu pude conhecer um pouquinho mais da Paola: que mulher forte, determinada, autêntica e generosa! Nada de maquiagem e roupas chiques como no programa. A Paola é ela mesma e não esconde. “Venham aqui perto pra ver as empanadas! Quem quer me ajudar?”

Depois de uma aula tão valiosa, tive um insight. Naquele ano eu e Thiago estávamos nos planejando para casar. Queríamos fazer uma coisa simples, para poucas pessoas e com comida verdadeiramente boa. Não era fácil achar um lugar que se encaixasse nesses padrões. Quando se fala em casamento tudo fica caro, luxuoso e cheio de firulas sem significado algum para nós. Enquanto degustávamos as empanadas, o Thiago chegou para me buscar. Peguei na sua mão e disse: “Vamos perguntar para a Paola! Ela vai saber de um lugar bom!”. Iniciamos a conversa e ela sugeriu o restaurante Mangiare, do seu sócio.

E no final, nos casamos lá e foi tudo como queríamos ❤ Comida italiana servida em grandes travessas (e quantidades!), com ingredientes simples, porém de qualidade, e com nossos convidados compartilhando duas grandes mesas no salão do restaurante. Ai, se não fosse a Paola….

VF Fotografia - 2015-08-08 - Casamento Giulia e Thiago (Mangiare) (164)

(quem quiser saber mais sobre o casamento tem um post aqui.)

Quase um ano depois, encontrei a Paola novamente. Em uma aula no Ateliê Muriqui na Vila Madalena. Entre as panelas, Paola parecia estar na cozinha da sua casa, nos ensinando receitas simples que ela mesma faz no dia-a-dia. Qualquer dia posto uma delas aqui… ❤

Ao final da aula, esperei todos falarem com a Paola para chegar a minha vez e agradecê-la. Ela se lembrou de mim, perguntou como foi o casamento e eu disse que só queria agradecer pois foi tudo como eu sonhei, e o mais importante: simples, singelo, cheio de significado para nós, e com a comida honesta e boa como queríamos. Ela me ouviu, me olhou e disse: “Parabéns por escolher a simpleza.” Meus olhinhos se encheram de lágrimas (e os do Thi também quando eu contei) e pedi uma foto.

Captura de Tela 2016-06-01 às 21.46.41

Simpleza. Escolhi a simpleza… e a Paola Carosella estava me dizendo isso. Naquele momento, muitas coisas que eu já buscava se confirmaram para mim. Uma vida mais simples, ligada aos saberes mais tradicionais que nos tocam lá no fundo, pois são sabedorias antigas e essenciais do ser humano. Uma vida com menos consumismo, extremismos, menos ligada ao dinheiro e aos bens materiais. Uma vida que nos conecte ao que é essencial e não ao supérfluo, que se baseie nas relações, nas conversas, nas pessoas, na natureza. E para mim a simpleza está em tudo, mas é na minha relação com a comida que ela fica mais forte.

E por isso o nome do blog será Simplezas. Uma homenagem a ela. Gracias Paola ❤

Simpleza

s.f. Qualidade daquilo que é simples; característica do que não é complexo; desprovido de complicação.
Que não é composto.
Falta de luxo; sem sofisticação.
Modo de se comportar espontâneo; falta de pretensão.
De natureza autêntica; que não se altera por componentes exteriores.
Modo autêntico e espontâneo de se expressar (falar ou escrever); elegância.
Característica, particularidade ou natureza da pessoa sincera; franqueza.